Home   |  Núcleo de Memória  |  Relembre  |  Contato  |  Agenda  |  Equipe  |
 
TEMAS DO ACERVO
Galileo Emendabili

(Ancona, Itália, 1898 - São Paulo, Brasil, 1974)


"Apesar de muitos artistas professarem diversas escolas, todos afinal se esforçam para fazer da arte aquilo que ela é: uma expressão intencional de sensibilidade humana. (...) Os nomes que ficam joeirados pelo tempo são aqueles que acima das teorias impostas pelas escolas foram profundamente humanos, foram essencialmente indivíduos e, portanto, criadores. A principal finalidade da arte é criar. Quem cria consagra-se. Por isso digo, que apesar de não ter pretensões a uma apoteótica consagração, dentro das formas antigas, pretendi fazer alguma coisa de pessoal. Ser original não é ser extravagante. É acima de tudo, ser pessoal".

Galileo Emendabili – 1929


 Galileo Emendabili
Monumento aos Heróis Constitucionalistas de 1932, 1970


        Galileo Emendabili estudou no curso especial de escultura da Academia Real de Belas Artes de Urbino, na Itália. Foi aluno do escultor Domenico Jollo e de Ludovico Spagnolini. Em 1921, executou o monumento tumular do republicano Giuseppe Meloni.  Imigrou para o Brasil em 1923, fixando-se em São Paulo, onde trabalhou como entalhador no Liceu de Artes e Ofícios. Seu ateliê ficava nas proximidades do Cemitério São Paulo, no bairro de Pinheiros.

 

Galileo Emendabili
Ausência, s.d.
Foto: Eternity cemitery

  

        Realizou vários trabalhos de arte tumular nos cemitérios paulistas, na Consolação, no Araçá e no Cemitério São Paulo. Destaca-se a obra Ausência, no túmulo da família Forte no Cemitério São Paulo.


Galileo Emendabili
Monumento a  Pereira Barreto, 1928

 

        Emendabili ganhou alguns concursos para realização de monumentos, como o Monumento a  Pereira Barreto inaugurado em 1928, na Praça Marechal Deodoro (concurso internacional de 1925), o Monumento a Ramos de Azevedo inaugurado em 1934, que hoje está na Cidade Universitária (concurso de 1926) e o Monumento aos Heróis Constitucionalistas de 1932, aprovado em 1934, iniciado em 1950 e completado vinte anos depois.
 

Galileo Emendabili
Monumento a Ramos de Azevedo, 1934

 

         O acervo do Museu da Abadia São Geraldo possui uma escultura de autoria de Galileo Emendabili, a obra São Francisco - Imposição de Mãos, 1941. Há obras do artista em vários museus paulistas como a Pinacoteca, o MASP e o Museu da Casa Brasileira.

 

Galileo Emendabili
São Francisco - Imposição de Mãos, 1941

Acervo Museu da Abadia São Geraldo

 Conheça mais: 

        A cidade de São Paulo passou por várias mudanças no final do século XIX e começo do XX em decorrência da industrialização e da alta sociedade cafeeira estabelecendo residência na capital. Esta foi modernizada, buscando-se aproximação com as grandes cidades européias, principalmente Paris. Foi o período da Belle Époque paulistana, inspirada na arquitetura, moda, costumes, festas e convicções francesas. Este processo influenciou inclusive os sepultamentos; assim como na Europa, para nossa sociedade passou a ser importante mostrar também na hora da morte a importância social que a pessoa possuiu em vida.
        A partir da primeira década do século XX, as famílias contratavam escultores famosos, em geral de origem italiana ou com formação européia, para a criação e construção dos túmulos. Estes em sua maioria eram produzidos em bronze, granito ou mármore de Carrara com alturas superiores a 3m. Entre estes artistas destacam-se Victor Brecheret, Galileo Emendabili, Bruno Giorgi, Eugenio Prati, Amadeo Zani, Nicola Rollo, Elio de Giusto, Ottoni Zorlini, entre outros.


Fontes:

www.partes.com.br

www.itaucultural.org.br
www.scielo.br
artetumular.blogspot.com<





Pesquisar:  


Foram Encontrados 6 Registro(s).